Voos em Oferta

Voe de Brasília para 12 destinos nacionais pagando menos de R$ 800 por ida e volta

São várias opções de voos baratos para embarque em Brasília e São Paulo. (Foto: João Heringer/Tudo Viagem).

Tem opções para Rio, Vitória, Salvador, BH, São Paulo e Curitiba; confira.

Para você que quer viajar de março a maio gastando pouco, esta pesquisa traz boas opções de tarifas de ida e volta para saídas de Brasília. São 12 destinos com as passagens aéreas por menos de R$ 800, incluindo as taxas aeroportuárias. Os bilhetes mais em conta são para Guarulhos, por R$ 325.

Em seguida aparecem São Paulo, por R$ 355; Belo Horizonte, por R$ 359; Campinas, por R$ 434; Marabá, por R$ 505; Curitiba, por R$ 508; Campo Grande, por R$ 515; Rio de Janeiro, por R$ 576; e Vitória, por R$ 584.

Todos esses valores incluem os voos de ida e volta mais as taxas aeroportuárias. Você pode optar ainda por embarcar em Brasília com destino a São Luís, por R$ 710; a Palmas, por R$ 720;  e Salvador, por R$ 789. São boas tarifas para você curtir esses locais nos meses de março, abril ou maio. Já garanta os seus bilhetes!

Voos de Ida e Volta com taxas

Embarques em São Paulo

Para quem for embarcar em São Paulo, tem várias opções de voos baratos para embarques de março a maio. O mais em conta é para BH, por R$ 259. Tem ainda para Curitiba, por R$ 265; para Goiânia, por R$ 344; para Brasília, por R$ 355; para Londrina, por R$ 391; e para o Rio de Janeiro, por R$ 392.

Nos links abaixo você ainda encontra voos de ida e volta para Vitória, Florianópolis, Porto Alegre, Salvador, Porto Seguro e Porto Alegre. Confira o que mais te agrada e já garanta suas passagens aéreas.

Voos de Ida e Volta com taxas

Faça aqui a sua pesquisa e garanta desconto na compra das passagens aéreas para outras cidades.

Atenção: O Correio Braziliense e o Correio Web não vendem passagens aéreas, pacotes de viagens ou  realiza reservas de hotéis. Os referidos sites apenas divulgam as promoções, ficando o leitor livre para escolher a melhor opção para a sua viagem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Correio Braziliense.